Aula à distância: como facilitar para crianças com perda auditiva

Mais notícias:

Primavera: restaurantes celebram o início da estação com novidades

A primavera chegou e além da cidade mais florida, as temperaturas também subiram. Então, pensando em proporcionar um momento refrescantes aos brasilienses,...

The Queen’s Place Greenhouse: recém inaugurada casa inglesa no Lago Sul tem novidades

Pouco mais de dois anos depois da inauguração da The Queen's Place na 116 sul, agora é a vez da The Queen's Place Greenhouse, localizada na Qi 21 do Lago...

Ney Matogrosso é tema de novo documentário, que estreia no Curta!

Reconhecido tanto por sua voz singular quanto por suas performances surpreendentes, o cantor Ney Matogrosso é tema de documentário inédito, que estreia no canal Curta!....

Mistura de ritmos na programação musical ao vivo do Bar Primo Pobre esta semana

Vai ter jazz, MPB, samba, pagode, rap, hip hop e muito mais na programação musical do bar Primo Pobre neste primeiro final semana depois do decreto que liberou a...
Juliana Dracz
Jornalista, fundadora e editora-chefe do A Brasília. Ama cachorros.

Uma das alternativas encontradas pelas escolas para tentar conter o contágio do novo coronavírus, as aulas à distância podem ser um desafio para as crianças com perda auditiva. Dependendo do tipo da atividade, os estudantes que usam um aparelho auditivo podem ter dificuldades para compreender a fala do professor e compreender o conteúdo.

Um estudo feito em conjunto pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda mostra que há 10,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva no Brasil. Desse total, 2,3 milhões têm deficiência severa. Destes, nove por cento nasceram com essa condição e e 91% adquiriram ao longo da vida, sendo que metade foi antes dos 50 anos. Entre os que apresentam deficiência auditiva severa, 15% já nasceram surdos.

“Imaginemos que um professor está fazendo uma conexão ao vivo e todas as crianças estão com o microfone aberto. Diferentemente do que ocorre numa sala de aula presencial, onde os alunos que usam aparelho sentam mais na frente e tem um contato direto com o professor, todos os barulho dos outros estudantes saem na mesma intensidade que a voz do educador”, aponta a fonoaudióloga Érica Bacchetti, especialista em audiologia da clínica Para Ouvir.

Como dica para ajudar essas crianças, a especialista aponta que um primeiro passo é estimular que elas façam as atividades das aulas remotas em um ambiente com o máximo de controle possível, sendo silencioso, sem muitos objetos que possam desviar a atenção delas, como aconteceria em uma sala de brinquedos.

Além disso, o ideal é verificar se o aparelho auditivo da criança tem a funcionalidade que permite que ele seja sincronizado, via Bluetooth, ao dispositivo eletrônico que utilizado para as aulas online, como a uma televisão ou computador “Assim, o som da aula sai diretamente no ouvido do estudante, numa transmissão direta, semelhante a um fone de ouvido”, destaca a fonoaudióloga.

Atenção, professor

Antes de mais nada, é importante alertar o professor e a escola da situação. É preciso fazer uma parceria e trabalhar para integrar o aluno. “Tem que se falar que do outro lado tem uma criança, que tem dificuldade de comunicação e deficiência auditiva. Precisa se dizer que ela necessitará de um estímulo melhor para poder absorver o conteúdo ensinado. Deve-se entender suas particularidades e especificidades”, alerta Erica.

Segundo a especialista, a compreensão do professor e dos colegas são fatores que ajudam na adaptação e no bom aproveitamento das aulas online pelas crianças com perda auditiva. Por isso, os pais devem explicar para a direção da escola quais são as necessidades auditivas do filho durante as aulas online. Apesar de não haver obrigação legal por parte das instituições de ensino em adaptar os conteúdos digitais a essa parcela da população, é necessário ter bom senso, diálogo e consciência.

Dicas de como ajudar

É interessante que os alunos desliguem os seus microfones durante as explicações do professor. Peça para ele que oriente os alunos a falarem um de cada vez;

Para facilitar a compreensão da criança com perda auditiva, prepare-o para a aula. Para isso, peça à escola que envie previamente o conteúdo que será ministrado;Se for possível, acompanhe as aulas junto com o seu filho;

Dependendo da plataforma que será utilizada pelo professor, também é possível colocar uma legenda automática do que está sendo falado, em tempo real.

Curta-nos:

Cinema:

Ney Matogrosso é tema de novo documentário, que estreia no Curta!

Reconhecido tanto por sua voz singular quanto por suas performances surpreendentes, o cantor Ney Matogrosso é tema de documentário inédito, que estreia no canal Curta!....

Documentário sobre autismo estreia na TV Brasil neste domingo (20/9)

A TV Brasil apresenta o filme inédito "Em um mundo interior" (2018), documentário inédito que a emissora pública estreia na faixa Cine Nacional deste domingo (20), às...

Festival Curta lança campanha de financiamento coletivo

O Festival Curta Brasília lançou nesta terça-feira (15), sua campanha de financiamento coletivo para ampliar a programação da nona edição do projeto...