Especial

A Pastora do Diabo: jornalista lança livro sobre Flordelis nesta segunda (12) em Brasília

A suposta adoção crianças e adolescentes que viviam em situação de abandono, e que chegou a passar de um total de 50, alçou Flordelis ao estrelato na década de 1990 e até ao cargo de deputada federal. Em novembro de 2022 ela foi condenada a 50 anos de prisão pela morte de Anderson do Carmo.

Dedicado a desvendar as origens da figura pública que enganou o Brasil com sua fachada benevolente, o jornalista Ullisses Campbell conversou com a mãe, os filhos, parentes e outras pessoas que conheciam intimamente a rotina da assassina. O livro Flordelis – A Pastora do Diabo, lançamento da Matrix Editora, é o resultado destas entrevistas e de um trabalho extenso de pesquisa que durou dois anos.

No livro, Campbell visita os bastidores da infância e adolescência de Flordelis e revela passagens perturbadoras. O sequestro de bebês de mães vulneráveis, os abusos sexuais cometidos contra os “filhos”, as orgias disfarçadas de sessões de purificação, o acesso limitado à comida imposto no lar adotivo, a alcunha de Queturiene que usava durante os rituais e o plano para matar o cônjuge são alguns dos episódios retratados.

Filha da “bruxa” Carmozina e sobrinha de “pai” Miquelino, Flordelis aprendeu cedo a ocultar as entidades satânicas que adorava sob a bússola moral das crenças evangélicas. As pregações da palavra de Deus nos altares das igrejas eram seguidas por cerimônias particulares realizadas como oferendas para seres antagonistas da fé cristã como Baphomet.

Se publicamente defendia os laços sagrados do casamento, na intimidade Flordelis não tinha problemas em frequentar ambientes voltados para a troca de casais, realizar batismos sexuais e transar com a própria prole, além de incentivar o incesto entre irmãos, biológicos ou adotivos. Ela mesma era casada com o ex-namorado de uma das filhas. O marido, pastor Anderson do Carmo, foi vítima de um complô familiar que culminou com seu assassinato, a mando da esposa, em 2019.

Flordelis – A Pastora do Diabo escancara o perfil psicológico dissimulado, frio e diabólico da mulher que durante anos foi considerada símbolo de amor, afeto e generosidade. A obra, rica em detalhes sórdidos, aprofunda a história da assassina que mesmo diante da leitura da condenação a 50 anos e 28 dias de prisão lutou para manter intacta uma reputação há muito destruída pela própria ganância e falta de escrúpulos.

O livro encerra a trilogia Mulheres Assassinas de Ulisses Campbell. Além deste lançamento, a série conta com os títulos Suzane – Assassina e manipuladora, que mergulha no Caso Richthofen, e Elize Matsunaga – A mulher que esquartejou o marido, relacionado ao assassinato do herdeiro da indústria de alimentos Yoki.

Ficha técnica

Título: Flordelis – A Pastora do Diabo
Autor: Ullisses Campbell
Editora: Matrix Editora
ISBN: 978-6556162706
Formato: 16 x 3 x 23 cm
Páginas: 304
Preço: R$ 69,00
Onde encontrarMatrix Editora e Amazon

Sobre o autor

Jornalista, Ullisses Campbell nasceu em Belém do Pará. Atuou nos jornais A Província do Pará, O Liberal, Folha de São Paulo e Correio Braziliense. Na Editora Abril, passou pelas revistas Superinteressante e Veja. Escreveu também para a revista Época. Em 25 anos de profissão, sempre exerceu a função de repórter. Ao longo da carreira, ganhou três prêmios Esso de Reportagem e um Embratel de Jornalismo. É autor da trilogia Mulheres Assassinas que inclui os livros “Suzane – Assassina e manipuladora”, “Elize Matsunaga – A mulher que esquartejou o marido” e o lançamento “Flordelis – A pastora do diabo”.

Related posts
Especial

Porks Samambaia lança promoção de confraternização de fim de ano

Especial

CCBB Educativo oferece programação especial para o fim do ano

Especial

jantar do prêmio Destaque Empresarial ACISA 2022 ocorre nesta terça (6)

Especial

Brasília reúne opções de passeio e hospedagem para o período de chuva na capital