VIVADANÇA Festival Internacional realiza sua 14ª edição em formato totalmente online

Mais notícias:

O VIVADANÇA Festival Internacional apresenta sua 14ª edição entre os dias 29 de abril e 9 de maio de 2021. Totalmente adaptado ao formato online e digital, o festival recebe espetáculos de diversas partes do mundo e apresenta um olhar especial sobre a videodança. A programação também destaca produções da dança contemporânea no continente africano, mostras virtuais de produção local e internacional, batalhas de breaks e MCs, concurso de popping, ações formativas com oficinas e encontros para networking, além de lançar o podcast “Bahia Mundo” com profissionais da dança que se estabeleceram em outros países. Participam desta edição produções artísticas de 12 países: Brasil, Alemanha, França, Moçambique, Senegal, Espanha, Polônia, Togo, Namíbia, Camarões, Níger e Tanzânia. Toda a programação é aberta e gratuita para o Brasil, com exceção do espetáculo de abertura “Dancing at dusk – um momento com A Sagração da Primavera de Pina Bausch”, que custa R$ 10. A programação completa está no site: www.festivalvivadanca.com.br

O VIVADANÇA tem início com um espetáculo muito especial: uma versão africana da icônica coreografia “Sagração da Primavera”, da alemã Pina Bausch. Intitulada “Dancing at Dusk/Dançando ao anoitecer – um momento com A Sagração da Primavera de Pina Bausch”, a versão será apresentada em formato de filme, realizado durante um ensaio geral do espetáculo no Senegal, que viria a estrear antes da pandemia em 2020. Uma coprodução entre Senegal, Alemanha e Reino Unido, o filme mostra a coreografia dançada por 38 bailarinos de 14 países africanos. A peça audiovisual, exibida na plataforma Festival Scope e com o apoio do Goethe-Institut, estreia dia 29 de abril de 2021 às 20h e fica disponível por uma semana.

O evento calendarizado, que tem sua abertura no Dia Internacional da Dança, vem reafirmando a cada ano seu lugar de encontros, difusão e conexões no universo da dança, com uma programação que coloca a Bahia no circuito de festivais internacionais, abrindo possibilidades artísticas e mercadológicas. Neste momento delicado, o VIVADANÇA oferece soluções criativas para continuar com sua missão de conectar profissionais da dança ao redor do mundo, bem como trazer para o Brasil o melhor da dança contemporânea. “Esta é uma edição especial. No momento em que precisamos manter o isolamento, nos despedir de muitos e, ao mesmo tempo, cuidar com atenção redobrada dos encontros e das conexões, o Vivadança abre novas portas para que público, artistas, gestores, espaços culturais e todos que defendem a diversidade possam construir  sinergias e utilizar as ferramentas tecnológicas para promover conhecimentos positivos”, afirma Cristina Castro, diretora geral e curadora. 

Na programação, além das produções internacionais de países como Moçambique, França, Alemanha, Espanha e Polônia, as mostras anuais se ajustaram às exigências digitais e reúnem uma cuidadosa seleção da produção audiovisual de dança na Bahia. A Mostra Baiana de Dança Contemporânea e a Mostra Casa Aberta exibirão espetáculos no palco virtual do Teatro Vila Velha, e o evento de Hip Hop fará pela primeira vez uma versão online das batalhas de break e de MCs, além de um concurso de performances de popping. O festival ainda recebe a Mostra Dança em Foco e a Mostra Fiver Cervantes, que reúnem uma seleção de videosdança especial para a programação. Com exceção do espetáculo de abertura, toda a programação é aberta e gratuita para o Brasil.

Como novidades neste ano, o VIVADANÇA lança o podcast Bahia Mundo com cinco episódios que convidam profissionais baianos da dança que se estabilizaram profissionalmente fora do Brasil. Outra novidade é o Cine África, projeto da Mostra de Cinemas Africanos que se junta ao festival para exibir filmes africanos nos quais o universo da dança é destaque. 

As ações formativas, características do VIVADANÇA, ganham muita força no online e incluem intercâmbios com profissionais brasileiros e estrangeiros, além de debates sobre o videodança e sobre as novas possibilidades para o campo profissional da dança durante e depois da pandemia. A tradicional rodada de negócios dá lugar a um movimento expandido de networking, reunindo profissionais e iniciativas públicas e privadas do Brasil e outros países que oferecem oportunidades para a dança. Um destaque são os encontros Conexão América Latina e Conexão África, que reúnem curadores de festivais de dança em diversos países dessas regiões, ansiosos por se conectar com o Brasil.

O VIVADANÇA Festival Internacional é uma realização da Baobá Produções Artísticas. O projeto foi selecionado pelo Edital Eventos Calendarizados com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Conta com parceria institucional do Goethe-Institut, Instituto Cervantes, MID – Movimento Internacional de Dança (DF), Instituto Francês, Embaixada da França e Aliança Francesa, Teatro Vila Velha, Sesc São Paulo e Mostra de Cinemas Africanos.

Curta-nos:

Cinema: