Teatro

Os desafios de se levar um espetáculo teatral para escolas de zonas rurais do DF

Desde agosto, a Cia Burlesca, formada no DF, tem feito apresentações teatrais em escolas do campo. O repertório formado pelos espetáculos “Bendita Dica”, “O Violinista Mosca Morta”, “O Longe” e “A Legítima História Verdadeira” transita por diversos temas e linguagens. É um recorte da produção do grupo que desde 2008 vem atuando pela popularização do teatro, transformando todo chão que pisa em palco, seja na rua, na praça ou no pátio das escolas.

O grupo atua de acordo com uma de suas principais missões: contribuir com a democratização do acesso à cultura por meio de políticas públicas responsáveis e eficientes. Vale destacar também que a proposta representa uma valiosa troca de conhecimento entre moradores do campo e da cidade que pode proporcionar a construção de um olhar mais amplo e humano sobre si e sobre o mundo.

“Estar no pátio da escola é estar exposto, e por isso vivo e atento, as crianças não seguem a convenção imposta pelo ambiente do teatro, da caixa preta, público num canto e elenco do outro. Pra Cia Burlesca isso não existe e nem funciona, sabemos que estamos no espaço deles, pedimos licença e trocamos com cada pessoa da comunidade escolar, entendemos que o espetáculo é uma outra forma deles assistirem aula, elenco é educador, texto é conteúdo, emoção é comentário, e nós que somos avaliados com as palmas”, explica Pedro Caroca, ator e produtor da Cia.

É sabido que em projetos culturais, as ações que comportem oficinas artísticas e apresentações em escolas são bem quistas por parte de pareceristas que avaliam as propostas. No entanto, algumas escolas não se abrem para o diálogo cultural – o que apresenta uma real necesdidade de articulação entre as secretarias do DF. Isso requer mais desdobramentos por parte dos produtores.

“Desafios sempre estão presentes, e são nosso maior estímulo. Não sabemos, muito das vezes, qual público iremos encontrar nas escolas. Seja ela a plateia ou direção para fecharmos alianças, porque não é só uma apresentação e sim, um círculo de parceiros. Falando nesse projeto em especial foi pensando em escolas específicas com espetáculos determinados. E aí surgem os desafios de faixa etária e agenda de ambos. E sempre tentamos acolher a todo público escolar, e assim vamos desenvolvendo mais projetos para ir estreitando nossas parceiras. Temos de fazer uma formação de plateia sempre em grande parte dos espaços que apresentamos. Um enorme trabalho já que somos 4 integrantes e fazemos tudo apresentar, produzir e criar tudo, mas o resultado final de ver a emoção tomando conta, o agradecimento ao se verem representados em nossas histórias é impagável. E é por esse motivo que seguimos firmes e crentes com nossos ideais a frente de todos os desafios diários”, celebra o ator e produtor Pedro Herick.

Na última segunda-feira, foram apresentadas as obras “Bendita Dica” e “A Legítima em Nova Betânia, zona rural de Brazlândia. Já as próximas apresentações das mesmas peças estão agendadas para o próximo dia 26 de outubro no CED PADDF, que fica no Paranoá. O projeto conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF.

Pela Manhã: Bendita Dica / Pela Tarde: A Legitima

Related posts
Teatro

Brasília recebe Authentic Flamenco, espetáculo de dança com renomados artistas da Espanha

Teatro

G7 anuncia duas sessões do espetáculo "As Aventuras de Nina e a Cidade Avião" em dezembro

Teatro

Espetáculo sobre Vinicius de Moraes entra em cartaz em Brasília

Teatro

Pela primeira vez, Brasília recebe espetáculo "Circo Zika"