Especial

Inverno: profissional fala da importância da atividade física

O inverno chegou e com ele os dias mais secos do ano. Nessa época, muitos praticantes de atividade física sentem uma grande diferença no desempenho e relatam certo desconforto. É...

Atividade física em casa (reprodução)

O inverno chegou e com ele os dias mais secos do ano. Nessa época, muitos praticantes de atividade física sentem uma grande diferença no desempenho e relatam certo desconforto. É durante o inverno também que aparecem as famosas “ites”, além de gripes e resfriados.

Segundo Naim Carlos, personal trainer especialista em emagrecimento e qualidade de vida da Evolve Gymbox, isso ocorre porque as pessoas tendem a se aglomerar em ambientes fechados para se proteger do frio, aumentando a exposição a agentes causadores dessas doenças. “É muito importante redobrar os cuidados nesta época do ano. Além de uma boa alimentação e boas horas de sono de qualidade, praticar exercícios físicos podem potencializar a imunidade”, explica.

Ele reforça que em tempos de pandemia, a situação é ainda mais delicada, visto que as academias permanecem com as portas fechadas e muita gente não tem se dedicado a cuidar do corpo. “Estudos científicos apontam uma menor prevalência dessas doenças naqueles indivíduos que praticam exercícios aeróbicos de moderada intensidade”, pondera.
Para Carlos, esse tipo de treino aumenta a capacidade cardiorrespiratória do praticante e parece melhorar o recrutamento de anticorpos especificamente para os órgãos que compõem o trato respiratório. O profissional acrescenta que isso implica, na prática, que há necessidade de um treino prescrito que faça o aluno evoluir, ou seja, somente caminhar não trará benefícios a longo prazo, pois o corpo se adapta muito rápido a tal estímulo.

Cenário atual
Recentemente, um grupo de pesquisadores de diferentes universidades federais do país começou uma pesquisa para avaliar se a falta de atividade física está relacionada à intensidade dos sintomas do novo Coronavírus. A equipe, composta por cientistas do Incor, UFMG, UERJ e UFRS, iniciou o estudo após uma publicação da Universidade Stanford, na Revista científica Cell.

A análise mostrou que a prática de atividade regular modifica mais de nove mil moléculas do nosso organismo, várias dessas moléculas ligadas ao sistema imunológico.

Mais Notícias
Especial

Brasília recebe treinamento imersivo de vendas com André Nunes

Especial

Ex-Casseta Maria Paula estreia programa sobre empreendedorismo

EspecialGratuito

Colégio Objetivo promove feira com o "Mundo em Transformação"

Especial

Complexo Cultural do Choro oferece programação diversa para toda família