Teatro

Em outubro, começa a segunda edição do Festival ¼ de Cena

O Festival ¼ de Cena entra em sua 2ª edição em 2019 com muitas atrações para o público brasiliense. O evento visa fomentar a produção e circulação de trabalhos cênicos independentes no Distrito Federal e está sendo produzido de forma independente pela Ninja Loka Produção.

A estética da cena curta obteve sucesso de público e adesão da comunidade artística das artes cênicas do DF, o que comprova a relevância e a potência do evento na capital. Cenas que foram criadas e produzidas na primeira edição ganharam espaços de difusão nacional e internacional, como é o caso da atriz Ana Bellacosta, de Flecha de Luara Learth e do projeto Boca Seca, da Cia ViÇeras, que se desenvolveu em espetáculo solo e demais cenas que ganharam outros espaços.

O festival, além de promover artistas e grupos, agrega as artes plásticas e o cinema entre os profissionais envolvidos. Nesta segunda edição, o artista plástico convidado a conceber as obras prêmios da mostra foi o Lourenço de Bem, profissional consagrado e reconhecido pelo seu trabalho com o papel machê e as pedras. No intuito de democratizar a participação dos mais distintos grupos, companhias, coletivos e indivíduos do DF, o evento abriu “provocatória” – sugestivo nome dado à seleção de espetáculos – entre julho e agosto de 2018. Ao todo, a seletiva contou com 48 inscrições de cenas curtas de até 15 minutos, resultando na seleção de 12 cenas. A curadoria foi composta pelos artistas e produtores: Adriano Roza, Carol Barreiro, Edson Beserra e Janaína Mello. A curadoria do projeto buscou avaliar aspectos técnicos, estéticos e narrativos das cenas inscritas, no intuito de conferir diversidade à programação. Entre os selecionados, há grande variedade de linguagens, com representantes do teatro, da performance, da dança e do circo.

A Mostra Competitiva do Festival ¼ de Cena acontecerá entre 17 a 20 de outubro de 2018, sempre às 20h, no Teatro SESC Garagem (913 Sul).  A cada noite serão apresentadas 4 cenas curtas. Além das apresentações, o evento promove debates entre plateia e jurados. A cada noite o público poderá escolher através de votação a melhor cena da noite. Serão premiadas quatro cenas, três escolhidas por júri popular e uma através do júri oficial composto pelos artistas Ana Flávia Garcia, Jonathan Andrade e Larissa Mauro. Durante a mostra haverá a exposição das obras do artista plástico Lourenço de Bem no foyer do Teatro Garagem

O Festival ¼ de Cena tem idealização e coordenação geral de Janaína Mello e patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura. Os ingressos poderão ser adquiridos através da plataforma Sympla e 20% estrão disponíveis na bilheteria do teatro 1 hora antes.

Sympla: https://www.sympla.com.br/ingressos-14-de-cena-festival-de-cenas-curtas-do-df—-artes-cencias__663998

PROGRAMAÇÃO17 A 20 DE OUTUBRO

17.10. 19 – quinta-feira – 20hs

A EXPERIÊNCIA HUMORÍSTICA PERFORMÁTICA DO NADA, PARA NÃO SER PRETENSIOSO

Com quantas não piadas se faz uma piada? Em um misto de palhaçaria contemporânea e um Stand-up teatral, o ator incorpora um personagem que sofre os distúrbios da poesia acadêmica. E para isso, é preciso interpretar sua bisavó que sofre de narcolepsia enquanto distribui pequenos copos de suco. Uma experiência viva e real por toda a cena

Concepção e atuação: Matheus Dias

Direção: Yuri Fidelis

Assistente de Direção: Similião

Aurélio Iluminação: Julia Tempesta

Duração: 15 min

Faixa etária: 10 anos

ATOR

Ator é um exercício cênico que tem como alicerce relatos da vida do dramaturgo, ator, diretor e poeta Antonin Artaud, um gênio do século XX marcado pela loucura e pela marginalidade. Neste exercício-cena, a arena se torna uma bandeja, na qual um único ator será servido ao público como um pedaço de carne.

Direção: Valdeci Moreira e Ricardo César

Ator: Daniel Landim

Iluminação: Valdeci Moreira e Matheus Trindade

Contrarregra: Jullya Graciela

Produção: Marli Trindade

Duração: 15 min

Faixa etária: 16 anos

Faixa etária: 10 anos

JUÃO – INDEPENDENTE

Um garoto sertanejo conta sua história, sua relação com a comunidade, a feira, os afetos e memórias de criança que retratam a vida e os acontecimentos de uma comunidade Brasileira.

Atuação: Tauã Franco

Direção: Yuri Fidelis

Dramaturgia: Tauã Franco e Yuri Fidelis

Duração: 15 min

Faixa etária: 10 anos

SAMADHI – Columna Produções

Trazendo consigo inspiração no coração da mitologia hinduísta e na Poesia de Khalil Gibran, a esquete apresenta a perspectiva de uma mulher que passeia por suas sombras e decide dançar com elas.

Atuação: Devadasi Hermógenes e Ely Janoville

Direção: Emanuel Lavor

Concepção: Emanuel Lavor e Devadasi Hemógenes

Texto: “Perguntais-me como me tornei louco”, de Khalil Gibran Coreograa: Devadasi Hermógenes e Kelucharam Mohapatra

Trilha sonora original: Ely Janoville

Maquiagem e gurino: Devadasi Hermógenes

Vídeo (gravação e finalização): Pedro Buson

Agradecimentos: Instituto Shambala, Miguel Devadata, Kamala Ramers, Cia Andaime e Ceres Moura

Produção: Columna Produções Brasília-DF, 2019

Faixa etária: livre

18.10.19 – sexta-feira – 20hs 

DESCOREOGRAFIA DA BOLA DOS SONHOS – INDEPENDENTE

Uma figura com vestes bizarras anuncia aos participantes o fim da bola dos sonhos. Enquanto isso, borrifa uma fragrância amadeirada para preparar o seu elogio da loucura. Para despertar os cinco sentidos, convoca a colocar em prática o seguinte provérbio: se ninguém te louva, farás bem em louvar-te a ti mesmo!

Elenco: Duda Herbst

Direção cênica: Lino Nilo

Dramaturgia: Duda Herbst e Lino Nilo

Duração: 15 min

Faixa etária: livre

OVO, ÓVULO, ÓVNIS – ATA – Agrupação Teatral Amacaca

O trabalho é inspirado no conto “O ovo e a galinha” da Clarice Lispector. A partir da reflexão da relação entre esses sujeitos, o conto problematiza questões femininas como a maternidade, destacando a função da mulher nesse processo, associada aos seus desejos pessoais e possíveis frustrações que esse conceito gera.

Idealização: Camila Guerra

Direção: Juliana Drummond e Camila Guerra

Colaboração: Rosanna Viegas

Operação de Luz: Juliana Drummond

Operação de Som: Rosanna Viegas

Atuação: Camila Guerra

Duração: 15 min

Faixa etária: 16 anos

2 OU 3 FRAGMENTOS DESSES ÚLTIMOS DIAS

Cena de dança acrobática que compõe o novo espetáculo do coletivo Instrumento de Ver, 23 Fragmentos Desses Últimos Dias, em colaboração com a diretora francesa Maroussia Diaz Verbèke, a estrear em outubro deste ano. A coreografia em trio surge a partir da brincadeira entre Beatrice, ao calçar os sapatos, e Julia e Maíra, que criam o seu caminho (ou será que é o oposto?) proporcionando um jogo de troca, colaboração, dança e acrobacias.

Criação e atuação: Coletivo Instrumento de ver

Intérpretes criadoras: Beatrice Martins, Julia Henning e Maíra Moraes

Colaboração artística: Maroussia Diaz Verbèke

Faixa etária: livre

O HOMEM-LIXO

Monólogo escrito por Matéi Visniec é um manifesto contra o consumismo. O autor pelo Teatro do Absurdo nos mostra a trajetória de um cidadão comum, passivo, pouco dado a reclamações, que vai sendo paulatinamente transformado em lixeira por toda a sociedade, sem explicação, apelo, ou empatia.

Atuação: Du Oliveira

Direção:Magna Oliveira

Execução de cenografia: Vanderlei Costa

Sonoplastia: Iluminação: Alana Beltrão

 Sonoplastia: Tauana Barros

Faixa etária: 10 anos

19.10.19 – sábado – 20hs 

BONEQUINHA

A cena traz o abismo profundo do primeiro amor na adolescência. A certeza da morte e do sentido da vida, após o fim de um relacionamento, na sábia e madura perspectiva dos 15 anos. A clássica falência da relação mãe e filha nesse período são o mote para os acontecimentos nessa divertida tragicomédia vivida pela atriz, Lucianna Mauren.

Texto, direção e atuação: Lucianna Mauren

Provocação: Simone Reis

Figurino: Betânia Scaringi

Iluminação: Natália Fisher

Duração: 15 min

Faixa etária: livre

HÁBRAÇOS – Grupo Pés de Teatro-dança por pessoas com e sem deficiência

Quanto de mim existe no outro e o quanto do outro eu carrego em mim? Em cena, por meio do encontro e desencontro, os dançantes, Mari Lotti e Roges Moraes investigam o poder do toque, do afeto e do desafeto. Qual a potência de um abraço?

Coreografia : Mari Lotti, Roges Moraes e Yuri Jorge. Grupo Pés de Teatro-dança por pessoas com e sem deciência

 Direção: Rafael Tursi e codireção de Mari Lotti

Duração: 15 min

Faixa etária: livre

MANIFESTO TRAV(ECO)-CIBORGUE 

A performance trata sobre como o mito da criatura ciborgueana ─ que habita entre o orgânico e o tecnológico ─ pode servir de paradigma para compreender a construção e os processos de socialização do corpo transfeminino. A apresentação propõe encarar a travesti enquanto uma gura mitológica, sobre os contextos e relações em que ocorre a violência transfóbica. A performance já foi realizada mais de 15 vezes dentro do território do Distrito Federal e uma vez em Goiânia, Manaus, Vitória e em La Plata/ Argentina.

Direção, atuação, dramaturgia, concepção, figurino e iluminação: Maria Léo Araruna

Duração: 15 min

Faixa etária: 14 anos

FRACASSO COREOGRÁFICO

O fracasso como potência, as ideias que tombam e o desmonte da eficiência. O convite ao recomeço. A parar o tempo e rever o que se faz. Essa é a dança de um corpo que perde as certezas e faz nascerem outros corpos. Um corpo dividido, corpo bicho, corpo bola, corpo medo, corpo pisoteado, corpo calado, corpo ditador, corpo engasgado, corpo criança. Uma dança na sombra ou o último suspiro possível em uma democracia.

Criação e Dança: Rafael Alves

Co-criação e operação de luz, som e imagem: Zé Reis

Dramaturgia: Zé Reis e Rafael Alves

Colaboração Artística: Sabrina Cunha e Diego Pizarro

Apoio: Noara Beltrami

Duração: 15 min

Faixa etária: livre

20.10.19 – sexta-feira – Cerimônia de Encerramento com entrega de premiação

Criação e produção: Ninja Loka e convidados.

O coletivo conta com captação de recursos via plataforma Vakinha, que segue até dia 10 de outubro.  

Related posts
Teatro

Espetáculo "Sangue no Olho" ganha temporada presencial em Brasília

Teatro

Brasília recebe Authentic Flamenco, espetáculo de dança com renomados artistas da Espanha

Teatro

G7 anuncia duas sessões do espetáculo "As Aventuras de Nina e a Cidade Avião" em dezembro

Teatro

Espetáculo sobre Vinicius de Moraes entra em cartaz em Brasília

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *